Moda Documenta I 2016

6o Seminário Moda Documenta | 3o Congresso Internacional de Memória, Design e Moda2016

 

A edição 2016 foi a primeira a acontecer fora da cidade de São Paulo, durante os dias 12 e 14 de maio de 2016, realizada pelo Departamento de Design da Universidade Federal do Paraná, no Centro Histórico de Curitiba.

O tema central do ano 2016 abordou Moda e Memória em todos os sentidos. Isto porque a ideia era intensificar o debate em torno da Memória, do Design e da Moda e, ao propor “em todos os sentidos”, abranger os processos de produção e gestão de memórias. Enfocou os modos como são pensadas as relações entre o tempo e a duração das coisas, os sentidos e sentimentos que as perpassam. Além do tempo, propôs-se discutir o lugar (conceitual) da memória. Ao frisarmos a presença/ausência de artefatos, pretendeu-se refletir sobre o que (re)criamos, o que guardamos e porquê o fazemos? O que descartamos e por quê? O que silenciamos e/ou esquecemos? Por quê?

A programação oficial do Moda Documenta 2016 contou com a presença dos internacionais Luis Solar (conservador do Museo Precolombino do Chile) e Estebán Torres Hormazabal (Museo de la Moda e Museo Violeta Parra, Chile). Ainda tivemos a conferência de abertura da professora doutora Rafaela Norogrando, de Portugal e a de encerramento com a pesquisadora do Arquivo Nacional, a doutora Maria do Carmo Rainho. A conservadora Eliana Zanatta mostrou o trabalho realizado por sua equipe no Museu Imperial – Petrópolis, RJ. A modelista e assessora de restauração/exposição para Haute Couture Jeannine Niepceron contou-nos sua trajetória na Maison Dior e nas marcas brasileiras M.Officer, 775 Brasil, Onix Jeans e Bremert, além de sua atuação em backstage de exposições renomadas de moda em museus brasileiros, como: Museu Paulista – Museu do Ipiranga – São Paulo, Paço Imperial – Rio de Janeiro e MASP Museu de Arte de São Paulo – São Paulo. Na mesa de abertura, a professora Márcia Merlo apresentou o histórico do Moda Documenta e a vocação de pesquisa do Museu da Indumentária e da Moda – MIMo, por onde tudo começou. Esta mesa ainda contou com a presença da professora Kathia Castilho (Abepem), que esteve inicialmente com a professora Márcia na idealização do evento e é parceira de todas as edições até hoje e, ainda conhecemos a trajetória da jornalista Nereide Michel que nos presenteou com um vídeo-documentário mostrando a história da moda paraense por intermédio de seus criadores. A palestra da professora doutora Maria Claudia Bonadio (UFJF) mostrou a possibilidade de se realizar pesquisa de indumentária e de moda em acervos diversos.

 

A edição de 2016 contou com uma rica e estimulante programação paralela e um numero significativo de parceiros que fizeram do evento uma ocupação em lugares ícones de Curitiba. O coletivo Mãos Urbanas realizou uma intervenção de crochês, que além de embelezar a capital paranaense, tornou o Moda Documenta ainda mais acolhedor, trazendo um novo conceito e deixando uma marca memorável ao evento.

Ainda dentro da programação paralela, os participantes do Moda Documenta 2016 puderam fazer visitas a ateliês de design de Curitiba, onde puderam conversar e conhecer de parto suas produções. Os ateliês abertos foram a Heroína – Alexandre Linhares, Suiane Maria, Novo Louvre e Milho Guerreiro.”

Montagem Milho Guerreiro_foto Fernanda Brum de Oliveira

Montagem Milho Guerreiro_foto Fernanda Brum de Oliveira

A programação das Atividades Paralelas incluiu 5 exposições, um bazar apresentando a produção de designers locais, o lançamento de 2 livros e a visita a ateliês de design.

A exposição “O espetáculo e o corpóreo”, realizada na Sala Arte & Design da UFPR, exibiu figurinos do designer Gustavo Krelling, com curadoria de
Karoline Marianne Barreto. No Museu de Arte da UFPR foi montada a exposição “Téssera Companhia de Dança da UFPR – 35 anos – Intermedi(AÇÕES)”, na qual puderam ser vistos figurinos e objetos utilizados em montagens consagradas da companhia. Perto dali, na Bicicletaria Cultural, foram exibidas vestimentas projetadas por estudantes de graduação em Design da PUC-PR, na exposição “Curitiba em fluxo – vestimentas para ciclistas do futuro”. No Museu Paranaense foram exibidas duas mostras, “Trajes típicos Regionais Portugueses” e “Sarau no Palácio São Francisco”. E na Livraria Vertov foi aberta a exposição “A memória da roupa íntima feminina”, que contava com peças originais e réplicas de peças íntimas do começo do séc XX.

Os dois livros lançados no dia 12 de maio, no Memorial de Curitiba foram O Design Pop no Brasil dos anos 1970, da professora Marinês Ribeiro dos Santos e Museus e Moda: acervos, metodologias e processos curatoriais, organizado pela professora Márcia Merlo, resultante do Moda Documenta 2015.

Na edição de 2016 tivemos o patrocínio da Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes).


— Conheça as instituições que apoiaram a realização do Moda Documenta 2016 —